Militar e político (séculos XV e XVI). A 22 de Abril de 1504, capitaneou a Armada que partiu para a Índia, onde derrotou os muçulmanos, em Calecute. Regressou a Portugal logo no ano seguinte, para rumar novamente para a Índia, depois de ter sido nomeado governador desse território, sucedendo a Afonso de Albuquerque em 1515. Dois anos depois, investiu contra os turcos no Mar Vermelho, sofendo retumbante derrota. Em 1518, criou uma fortaleza em Ceilão, sendo este identificado como o factor mais significativo da sua governação. A sua permanência no Oriente durou, contudo, pouco tempo, pois regressou a Portugal em 1519, depois de ter desagradado a portugueses e a indianos. Os descontentamentos terão começado mal chegou à Índia, devido às intrigas que lançou sobre Afonso de Albuquerque, inclusive junto da Corte. Reza a história que era um homem honesto. Em Portugal, retirou-se para a sua quinta de Torres Vedras.

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)

Anúncios