No ano de 1981, Joaquim Rebelo Vaz Monteiro, concluía – com a idade de 64 anos – um trabalho académico que deveria discutir em provas de doutoramento em História na Universidade do Porto; infelizmente, a morte viria a surpreender o autor, impossibilitando-o de concretizar o seu objectivo.

Engenheiro de formação, viria também a cursar História, escolhendo para tema da sua investigação um estudo de náutica; baseando-se nos minuciosos diários de navegação do final do século XVI e início do século XVII, reconstituiu a rota da Carreira da Índia, numa “viagem redonda”, ou seja, de ida e volta, incluindo a deslocação até ao Oriente e o regresso a Portugal.

Trabalhando sobre uma “viagem redonda” realizada pela armada de D. Afonso de Noronha nos anos de 1597 e 1598, com base nos Diários de bordo redigidos pelo piloto Gaspar Ferreira Reimão, começou por proceder à sua transcrição e análise detalhada das rotas, complementadas pelo estudo cartográfico da navegação, investigando os traçados de várias cartas.

Nos próximos dias – a partir da próxima Quarta-feira, 4 de Abril, véspera da data de partida para a Índia, no ano de 1597, assinalando então o centenário da expedição pioneira de Vasco da Gama – por aqui irei procedendo à transcrição, nas respectivas datas-aniversárias, do “Diário da navegação da Nau São Martinho em viagem para a Índia no ano de 1597“, de Gaspar Ferreira Reimão, com base na obra publicada pela Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra em 1985: “Uma Viagem Redonda da Carreira da Índia (1597-1598)“, da autoria de Joaquim Rebelo Vaz Monteiro.