Gil Eanes

Navegador (século XV). Oriundo de Lagos, foi escudeiro do infante D. Henrique, que o fez cavaleiro. Foi o primeiro a ultrapassar o cabo Bojador (1434). Natural do Algarve (ao que tudo indica da própria cidade de Lagos), é o primeiro grande navegador português da gesta dos Descobrimentos. É o próprio Gomes Eanes de Zurara que o diz natural de Lagos no título do Capítulo IX da Crónica dos Feitos da Guiné. Segundo o cronista, Gil Eanes, natural de Lagos, escudeiro da Casa do Infante, recebeu, em 1433, a capitania de uma barca com o intuito de dobrar o Bojador. Nesta primeira tentativa, como sucedeu com as de tantos outros navegadores que o precederam, não logrou atingir o seu objectivo. Gil Eanes apenas alcançou as Canárias, onde fez alguns cativos, com os quais regressou ao reino. Segundo Zurara, estas acções de pilhagem, aliadas às lendas que circulavam sobre a passagem do cabo, levavam a que depressa se desistisse de uma acção encarada quase como impossível. Contudo, no ano imediato, o cabo é efectivamente dobrado por Gil Eanes, ultrapassando-se o obstáculo que impedia o início da descoberta da costa ocidental africana. D. Henrique recebeu-o com alvoroço e júbilo, armando-o cavaleiro e dando-lhe outras recompensas. Enviado em seguida, juntamente com Afonso Baldaia, em nova expedição, Gil Eanes explorou, a partir do Bojador, cerca de 50 léguas de costa. Participaria ainda em outras viagens, como a organizada por Lançarote ás ilhas de Tide e Naar, em 1444, e outra dirigida à Guiné. Em 1446 terá atingido o actual território da Gâmbia.

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)

(imagem via http://www.geocities.com/martinsbarata/selos/selos.htm)