A propósito da transcrição de alguns excertos do “Tratado das Cousas da China“, da autoria de Frei Gaspar da Cruz, o leitor Victor Trincão teve a amabilidade de escrever comentário, desenvolvido em e-mail (que agradeço), que de seguida aqui recupero:

Para se entender o ponto de vista da China, na altura, é curial ler a obra:

“1421 – O Ano em que a China descobriu o mundo”, de Gavin Menzies (Publicações D. Quixote)

Por aí se percebe que os chineses, que dispunham então de barcos do tamanho de um campo de futebol, teriam feito viagens de circum-navegação do planeta, e seria natural que essas viagens teriam sido a fonte das descobertas marítimas portuguesas.

E também se percebe como depois disso a China se fechou e passou a hostilizar os “primitivos” estrangeiros, o que explica os relatos referidos

Sem tirar o merecido mérito às “descobertas” portuguesas, porque “foram, voltaram e divulgaram”, fico com a sensação de que foram antes fruto do aproveitamento daquilo que os chineses teriam feito antes mas que, por razões politicas internas, como se mostra no tal livro, “foram, voltaram, mas não divulgaram”.

Note a cronologia:

1418 – Zheng He’s integrated map of the world 1418 – “The 1418 map”

http://www.1421.tv/pages/evidence/content.asp?EvidenceID=416

1421 – Viagens chinesas

1424 – Mapa de Zuane Pizzigano, citado pelo autor do livro referido

1492 – Colombo chega à América

1497 – Mapa de Frau Mauro

1519 – Fernão de Magalhães faz a circum-navegação, convicto (?) da rota chinesa pela Terra do Fogo, de 100 anos antes

Esclarecedor é o “boneco” animado das viagens chinesas em:

http://www.1421.tv/pages/maps/voyages.htm

tal como os detalhes expostos em:

http://www.1421.tv/pages/evidence/index.asp

Assinalo a noticia, extraida do 1º site referido:

Press Conference – Bookworm club, Beijing, 18:00 March 23 2006

18:20 –Dr. Gunnar Thompson, Ph.D., Director of the New World Discovery Institution in Washington and specialist in the study of ancient maps, gives highlights of his opinion of the 1418 map, and will address the following questions:

Did Prince Henry of Portugal steal the Ming geography?

Did Zheng He’s 1418 Ming Map lead the Europeans to the New World?

Gunnar vai mais longe em

http://www.marcopolovoyages.com/Articles/BarnesArticle.html

Note que no site do livro, constam constantemente novos contributos, de várias partes do globo, a abonarem a tese do autor (Gavin Menzies).


Adenda (a 11.06.2007)

Entretanto, em comentário a esta entrada – que entendo dever também recuperar para o “corpo principal” do artigo, à guiza de “direito de resposta”, numa perspectiva de pluralidade de opiniões, visando contribuir para o enriquecimento do debate -, o leitor J. C. S. J. (http://ph-colombina.blogspot.com/) deixa-nos a seguinte indicação:

[…] é preciso advertir que as lucubrações de Gavin Menzies têm sido desmistificadas como pseudo-história que são pela comunidade científica. Para mais informações veja-se p. ex.: http://www.1421exposed.com/index.html