Diplomata (Beja, 1575 – Manzanares de Membrilla, 1628). Eremita de Santo Agostinho, em 1597 seguiu para Goa, para leccionar Teologia. Enviado em missão especial à corte da Pérsia, em 1602, teve tal aceitação junto do Xá que este o enviou como seu embaixador a Paulo V e a Filipe II de Portugal. Ascendeu a bispo, em 1612, regressando então como enviado papal à Pérsia, onde enfrentou várias dificuldades, chegando a ser preso pelo Xá. Conseguindo fugir, voltaria a ser encarcerado durante a viagem, desta vez pelos mouros, que o mantiveram cativo durante vários anos. Entre as obras que deixou, destaca-se a “Vida y Muerte del Bendito Padre Juan de Dios” (1623).

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)