Cartógrafo (século XVI). Filho de Lopo Homem e irmão de Diogo Homem, ambos cartógrafos, andou fugido da Justiça, tendo, como tal, vivido em Paris, Londres e Bilbau. Chegou a ser cosmógrafo do rei de França, Francisco I, e criou, em 1559, um planisfério decorativo com iluminuras, que se encontra à guarda da Biblioteca Nacional de Paris. Depois de 1586, pouco de conhece da sua actividade.

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)

Anúncios