Cartógrafo (séculos XV e XVI). Foi o iniciador da última fase do período áureo da cartografia portuguesa. Considera-se que a sua obra, apesar de não ser muito extensa, é muito perfeita e dotada de grande qualidade gráfica. Destaca-se o Atlas Homem-Reinéis, de 1519, uma carta náutica de cerca de 1550 e um planisfério de 1554. De referir que também foi cartógrafo régio e que os seus filhos André e Diogo lhe seguiram as pisadas na profissão, apesar de Lopo Homem ser tido como o mais ilustre cartógrafo da família.

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)

Advertisements