Rainha de Espanha e imperatriz da Alemanha (Lisboa, 24 de Outubro de 1503 – Toledo, 1 de Maio de 1539), entre 1526 e 1539. Filha de D. Manuel I e de D. Maria, aos 22 anos casou com o primo Carlos V, o mais poderoso monarca da época. O contrato de casamento foi firmado em Almeirim, onde decorreram grandes festejos, sendo que o mesmo aconteceu em Sevilha, onde foi celebrada a boda. Foi ela quem assumiu, com reconhecido brio, a regência do trono espanhol (1528-1533 e 1535-1538), durante as prolongadas ausências do marido. Residiu principalmente em Toledo e assumiu a sua condição de rainha de Espanha, identificando-se com as problemáticas que assolavam o seu novo território. O povo espanhol também a reconheceu e admirava, inclusive a sua beleza, também imortalizada por artistas e por escritores, como Gil Vicente, que a apelidou de “muy fermosa flor”. Assinou com Portugal o tratado sobre as ilhas Molucas, em 1529. Morreu ao dar à luz e, em 1574, o seu túmulo foi trasladado para o Escorial. Consta que Carlos V muito sentiu a morte da esposa, tendo passado largas horas a contemplar a sua figura no quadro que o pintor italiano Ticiano executou.

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)