Em 1470, Soeiro da Costa exploraria a zona de costa entre o Cabo Mensurado (na actual Libéria) e o Cabo das Três Pontas (no actual Gana).

Seguiu-se, em 1472, a descoberta do arquipélago de São Tomé e Príncipe; e, no ano seguinte, da ilha de Fernando Pó (descoberta pelo navegador que lhe daria o nome). Viriam a constituir as primeiras colónias na África Equatorial, no Golfo da Guiné, ao largo da costa do actual Gabão.

Seriam os navegadores de Fernão Gomes os primeiros a cruzar a linha do Equador, tendo chegado, em 1475, à ponta de Santa Catarina (localizada a 2º sul de latitude, correspondendo ao actual Porto Gentil, no Gabão)… não obstante tenham passado também pelo equívoco de, ao dobrar o Cabo das Palmas (na actual Libéria), terem pensado completar o contorno da extremidade sul africana.

Em 1476, Afonso V era derrotado pelos castelhanos em Toro, enquanto D. João repelia a invasão castelhana de Portugal.

Nessa altura, registam-se também expedições de Castela à costa da Guiné, mas que não seriam bem sucedidas, optando os reis católicos por se focalizarem na plataforma das Canárias, virando-se ainda para a costa marroquina, começando também a comerciar com a Mauritânia.

Bibliografia consultada

– “A Viagem do Descobrimento – A Expedição de Cabral e o Achamento do Brasil”, de Eduardo Bueno, Editora Pergaminho, 2000
– “Descobrimentos – História e Cultura”, edição da Comissão Nacional Para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, 1987
– “História de Portugal”, de A. H. de Oliveira Marques, Palas Editores, 1980
– “História de Portugal”, de Jean-François de Labourdette, Publicações D. Quixote, 2003
– “O Império Colonial Português (1415-1825)”, de C. R. Boxer, Edições 70, 1981
– “Portugal – O Pioneiro da Globalização”, de Jorge Nascimento Rodrigues e Tessaleno Devezas, Edição Centro-Atlântico, Maio de 2007