Março 2008


Anúncios

Passaporte EXPO

O ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Ferreira do Amaral, aprova o Plano de Urbanização da Zona de Intervenção da Expo’98 (P.U.Z.I.). Tendo por características fundamentais a multifuncionalidade, a centralidade e a qualidade urbanística e ambiental, este plano cobre uma área total de 330 hectares, e tem como horizonte temporal para a sua total realização entre 10 e 15 anos.

(via “A Cidade da EXPO’98 – Uma Reconversão na Frente Ribeirinha de Lisboa?”, Vítor Matias Ferreira e Francisco Indovina, Editorial Bizâncio, Lisboa, 1999)

Fundador de Luanda (? – Massangano, Angola, 9 de Maio de 1589), era neto de Bartolomeu Dias. Foi escrivão da Fazenda Real e chegou ao rio Cuanza, em Angola, em 1560, com os primeiros missionários jesuítas para ali enviados. Com a viagem, os portugueses pretendiam procurar metais preciosos, mas não tiveram sorte, pois uns foram presos e outros mortos. Paulo Dias de Novais foi libertado em 1566. Regressou a Portugal e pediu a doação de uma capitania nas margens do rio Cuanza, o que lhe foi concedido, por doação de 19 de Setembro de 1571. Partiu novamente para Angola. Em 1575, desembarcou na ilha de Luanda e, um ano depois, fundou São Paulo de Luanda. Prosseguiu a exploração do território e fixou-se em Macunde e, depois, em Massangano.

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)

Para além dos pavilhões dos países e organizações participantes, a organização da EXPO’98 foi também responsável por um conjunto de Pavilhões e Áreas temáticas, associadas ao tema central “Os Oceanos, Um Património para o Futuro”.

Os pavilhões temáticos foram seis:

  • Pavilhão do Conhecimento dos Mares
  • Pavilhão do Futuro
  • Pavilhão dos Oceanos
  • Pavilhão de Portugal
  • Pavilhão da Realidade Virtual
  • Pavilhão da Utopia.

As áreas temáticas compreendiam:

  • Exibição náutica
  • Jardins da Água
  • Jardins Garcia de Orta.

Referências bibliográficas
– “Guia Oficial da EXPO’98”
http://www.parquedasnacoes.pt/pt/expo98/default.asp
http://pt.wikipedia.org/wiki/Expo_98
http://www.civilium.net/infocil/expo98.shtml
http://www.bie-paris.org/

Passaporte EXPO

O Comissário Cardoso e Cunha anunciou publicamente o resultado do concurso de propostas arquitectónicas para a Gare do Oriente. A proposta vencedora foi a do arquitecto Santiago Calatrava. Orçamento previsto: 10 milhões de contos. Data prevista para o começo das obras: início de 1995. – Cerca de dois anos mais tarde, em Julho de 1996, o Ministro do Planeamento e Administração do Território, João Cravinho, apresentou os novos custos deste projecto: 32,3 milhões de contos.

(via “A Cidade da EXPO’98 – Uma Reconversão na Frente Ribeirinha de Lisboa?”, Vítor Matias Ferreira e Francisco Indovina, Editorial Bizâncio, Lisboa, 1999)

« Página anteriorPágina seguinte »