Humanista (Évora, 1500? – Évora, 9 de Dezembro de 1573), estudou no Convento de São Domingos e nas universidades de Alcalá de Henares e Salamanca. Viajou ainda para outros locais da Europa, entre os quais Lovaina, onde frequentou o círculo de amigos de Erasmo. Cerca de 1531, residiu com o embaixador português junto da corte de Carlos V, em Bruxelas. Encontrava-se já em Portugal, no Convento de São Domingos, em Évora, quando, em 1533, D. João III o convidou para ser professor dos infantes seus irmãos e, particularmente, de D. Duarte (de quem escreveu uma biografia em 1567), sob o título Vida do Infante D. Duarte. De 1534 a 1565, pregou nos sínodos de Évora. Tido como grande orador sacro, pronunciou diversos discursos, designadamente nas entradas em Évora da princesa D. Joana, em 1552, e de D. Sebastião em 1569. Foi considerado o iniciador da arqueologia em Portugal. Publicou diversos trabalhos literários, na maioria em latim, designadamente Carmen Eruditum et Elegans… (1531, mais tarde conhecido por Encomium Erasmi, onde pela primeira vez aparece a palavra lusíadas, como sinónimo de portugueses). Algumas obras, entre os seus mais de 100 títulos: De Verborum Conjugatione (1540), De Vita Aulica (1535), História da Antiguidade da Cidade de Évora (1553) e De Antiquitatibus (1593).

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)

Anúncios