Governador-geral do Brasil (Lisboa, 1502? – Lisboa, 28 de Janeiro de 1579), de 1549 a 1553. Nascido no seio de uma família da fidalguia minhota (sendo primo de Martim Afonso), aos 26 anos combatia em Arzila, onde, passados quatro anos, assumiu o cargo de fronteiro. Em 1535 combateu na Índia e os seus méritos guerreiros valeram-lhe o título de fidalgo da casa real, atribuído em 1537, e, mais tarde, o de cavaleiro. Homem de coragem e, ao mesmo tempo, prudente, parecendo estar talhado para combater nas praças do Norte de África, o rumo da vida de Tomé de Sousa mudou quando o rei D. João III o escolheu para primeiro governador-geral do Brasil, por um período de três anos. […]

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)

Anúncios