O original do diário da viagem de Vasco da Gama à Índia, em 1497, atribuído a Álvaro Velho do Barreiro, é a principal atracção da exposição “Tesouros”, inaugurada ontem na Biblioteca Municipal do Porto.

O diário, que passa quase despercebido entre os manuscritos com ilustrações coloridas que também constam da exposição, esteve recentemente em digressão por vários países europeus e, habitualmente, não está disponível para ser visto pelo público.

“É notável. Este diário não é património da cidade do Porto, mas da humanidade. É uma honra para a cidade que este documento esteja na nossa biblioteca”, afirmou Rui Rio, depois de ter visitado a exposição.

Esta mostra, que estará patente até 12 de Dezembro, integra o programa das comemorações do 175º aniversário da Biblioteca Municipal do Porto. “Esta exposição é apenas uma pequeníssima amostra do que temos. São 55 peças que representam um pequeno grande tesouro da cidade do Porto”, afirmou Isabel Santos, directora do Departamento Municipal de Bibliotecas.

O diário da viagem de Vasco da Gama é a atracção principal, mas a exposição também inclui outras raridades como uma edição da Peregrinação, de Fernão Mendes Pinto, de 1614, o Foral da Cidade do Porto, datado de 1517, e edições antigas de Os Lusíadas. “Queremos dar a conhecer um pouco daquilo que temos de mais precioso e raro”, frisou Isabel Santos, considerando “muito importante partilhar o nosso património”.

Para os visitantes, estão também disponíveis alguns dos mais de 80 volumes da Livraria de Mão do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, trazidos para a biblioteca portuense por Alexandre Herculano, além de manuscritos religiosos, militares e musicais, autógrafos e exemplares de cartografia.

(Público, 21.10.2008)

Anúncios