A primazia da chegada dos portugueses à Austrália “é o motor” do novo romance de João Lopes Marques, “Terra de Java”, disse à Lusa Rui Zink, que apresentará a obra na próxima quinta-feira, em Lisboa.

“A primazia da descoberta portuguesa é o motor do livro, é o que o puxa, mas não é o mistério a revelar”, precisou Zink, que falará sobre o livro quinta-feira ao final da tarde na FNAC Vasco Gama, ao Parque das Nações.

O livro conta a história de Manuel Pereira, que parte em lua-de-mel para a Austrália e aí descobre um apelido português, igual ao seu, acabando por se envolver, entre tratos amorosos, numa cruzada que visa denunciar a “falsificação histórica”.

“O que me atrai no livro é uma visão fresca, às vezes no duplo sentido da palavra fresca, às vezes bastante fresca mesmo, sobre as venturas e desventuras de um português nessa Terra Java que é a Austrália”, explicou.

“Ele tem a sensação – ou há um fantasma – de ser duplo de um outro Manuel Pereira que terá passado por aquelas terras quase cinco séculos antes”, prosseguiu Zink. […]

(Lusa – via RTP)

Anúncios