Fidalgo (Lisboa,?-16 de Agosto de 1665). Sexto conde de Atouguia, foi um dos conspiradores de 1640 e, após a aclamação de D. João IV, exerceu inúmeros cargos. Foi governador de Peniche, das armas de Trás-os-Montes, do Brasil e das armas do Alentejo, capitão-general da Armada Real, presidente da Junta do Comércio, conselheiro de Guerra e do Conselho de Estado e gentil-homem da Câmara do rei D. Afonso VI. Foi ainda comendador de Adaúfe e de Vila Velha de Ródão, na Ordem de Cristo. Como governador das armas de Trás-os-Montes repeliu uma incursão de tropas espanholas pela fronteira de Chaves. No Brasil, festejou a vitória final contra os holandeses. Durante esse período travou alguns actos de rebeldia dos índios. Deixou a obra Nobiliário das Famílias deste Reino, em quatro tomos.

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)

Anúncios