Colonizador do Brasil (Lisboa, 22 de Dezembro de 1591 – Madrid, 1658). Neto de Duarte Coelho e filho de Jorge de Albuquerque e de D. Ana de Meneses, foi o quarto e último donatário da capitania de Pernambuco, que recebeu por herança, em 1603. Em 1625 combateu na reconquista da cidade da Baía, que fora tomada pelos holandeses uns meses antes. Depois da sua capitania ter sido invadida pelos flamengos, em 1630, participou com o seu irmão Matias na defesa da região (1631), mantendo-se no Brasil até 1638. Já em Portugal, depois da Restauração manteve-se fiel a Filipe IV de Espanha, que o fizera marquês de Basto e conde de Pernambuco (1632), regressando a Castela, onde morreu. Deixou vários livros de carácter histórico, designadamente as Memórias Diárias de la Guerra del Brasil (1654), uma valiosa obra para o conhecimento das guerras luso-holandesas em Pernambuco, durante o período de 1630-1638.

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)

Anúncios