Explorador no Brasil (1628-1718), foi o primeiro a descobrir ouro nas margens do rio da Velha. Genro de Fernão Dias Pais, em 1674 foi um dos acompanhantes do governador na viagem exploratória ao sertão de Sabaraboçu, pesquisando as margens de vários rios em busca de ouro. Porém, entrando em conflito com o administrador das minas de ouro, D. Rodrigo de Castel-Branco, assassinou-o em 1682, o que o obrigou a fugir, apenas reaparecendo 18 anos mais tarde com as amostras de ouro que descobrira. Conseguindo que Artur de Sá e Meneses, governador do Rio de Janeiro, mandasse fechar o processo relativo ao crime que cometera, prosseguiu as descobertas, tornando-se um dos mais prestigiados e ricos homens daquela região. Nomeado guarda-mor do distrito do rio das Velhas, logo em 1700, dois anos mais tarde tornou-se superintendente-geral das minas desse rio. Posteriormente, fruto dos conflitos gerados pela posse do ouro, participou na chamada Guerra dos Emboabas (1707-1709), que opôs os paulistas, detentores das minas da região, a todos os que vinham de fora, particularmente, os portugueses chefiados por Manuel Nunes Viana.

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)

Anúncios