Foi primeiro conde D. António José de Castro (1719-1801), que foi o décimo-quinto almirante de Portugal, quinto capitão na Guarda Real de Archeiros, membro do Conselho de Estado, presidente do Conselho Ultramarino, deputado da Junta dos Três Estados e grã-cruz da Ordem de Cristo. Possuía largos territórios no Brasil, tendo-os cedido à Coroa. Como compensação, D. José fê-lo conde através de carta datada de 9 de Junho de 1754. Sucedeu-lhe no título seu filho D. José Luís de Castro (1744-1819) que, além de ter sido décimo-sexto almirante de Portugal e sexto capitão da Guarda Real de Archeiros, chegou a ocupar o cargo de vice-rei do Brasil (o décimo-terceiro). Durante o seu governo foi executado o famoso Tiradentes, um dos instigadores de uma revolta contra Portugal, descoberta em 1789, conhecida pela Inconfidência Mineira.

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)

Anúncios