Governador ultramarino (Coimbra, 1504? – Baía, 1572). Filho ilegítimo de Gonçalo Mendes de Sá, cónego de Coimbra, da sua relação com Inês de Melo, era irmão do conhecido escritor Sá de Miranda. Formou-se em Direito, tendo sido desembargador da Suplicação, corregedor dos feitos civis da corte e desembargador dos agravos. Nomeado terceiro governador-geral do Brasil, em substituição de Duarte da Costa, chegou a Salvador em Dezembro de 1557. Durante o seu excelente governo, que durou até 1570, moralizou a administração, incrementou a economia e venceu definitivamente os franceses (1567). Este sucesso militar seria ensombrado pelo ferimento em combate e morte do seu sobrinho, Estácio de Sá, fundador da povoação que daria origem à cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. Paralelamente aos feitos militares, Mem de Sá apoiou a política missionária de aldeamento dos jesuítas e pacificou os índios, colaborando na formação das primeiras bases indígenas junto ao rio Vermelho, perto de Salvador. O estado de paz conseguido permitiu ao governador preocupar-se com o crescimento económico da região, através do aumento do comércio, do incentivo à agricultura e da criação de engenhos.

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)

Anúncios