Foi primeiro conde D. Fernando de Mascarenhas, cuja data de nascimento não se conhece com precisão, tendo falecido em 1651. Foi capitão-general de Ceuta e de Tânger. Em 1638 o conde-duque de Olivares incumbiu-o de comandar a esquadra e o exército que seguiram para o Brasil em socorros dos domínios portugueses que então estavam a ser atacados pelos holandeses. Não teve sucesso no combate travado em Janeiro de 1640 ao largo de Pernambuco, que resultou num desastre total, e os espanhóis, que na altura dominavam Portugal, culparam-no da derrota e prenderam-no no Forte de São Julião da Barra. Ali se encontrava aquando do movimento independentista de 1 de Dezembro desse mesmo ano e foi o próprio conde quem negociou com o governador espanhol a rendição deste, o que apenas aconteceu a 12 de Dezembro. O título foi-lhe concedido por Filipe III, através de carta datada de 26 de Julho de 1638.

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)

Anúncios