Patriota brasileiro (Minas Gerais, 1746 – Rio de Janeiro, 21 de Abril de 1792), conhecido por Tiradentes, uma alcunha que lhe foi atribuída pela sua actividade de dentista. Foi líder do movimento pela independência do Brasil, que ficaria conhecida como Inconfidência Mineira. Depois da morte dos pais, ainda criança, foi criado pelo padrinho, um cirurgião, e com ele aprendeu algumas noções de Medicina, acabando por se tornar dentista. Para além de dentista, era conhecida a sua grande apetência para a mineração e também para a hidráulica, tendo criado projectos de abastecimento de água para o Rio de Janeiro. Em 1781, entrou para o Regimento dos Dragões de Minas Gerais. No entanto, sem raízes na aristocracia local, não conseguiu passar do posto de alferes. Mesmo assim, nunca abandonou o sonho de se tornar um homem rico, com prestígio social. Devido ao seu carisma, teve oportunidade de privar com pessoas que o colocaram ao corrente do processo da independência dos Estados Unidos e dos problemas que existiam no seu país. Habituado a conversas que giravam à volta da emancipação do Brasil, dedicou grande parte dos seus dias a fazer propaganda destinada a todos os que tinham queixas contra a administração portuguesa. Descoberta a Conjura Mineira, em Março de 1789, foi preso, tendo sido condenado à morte. O corpo foi esquartejado, os membros espalhados pelos caminhos e a cabeça exposta em Vila Rica.

(via “História de Portugal – Dicionário de Personalidades” (coordenação de José Hermano Saraiva), edição QuidNovi, 2004)