Completavam a divisão com destino à Índia a caravela São Pedro (com 50 homens), capitaneada por Pêro de Ataíde, e a naveta de mantimentos (com capacidade para 100 tonéis, transportando 80 homens), comandada por Gaspar de Lemos (ou André Gonçalves), que viria a ser encarregue da missão de regressar a Portugal, anunciando a descoberta do Brasil, transportando cerca de 30 cartas dirigidas a D. Manuel (de que apenas duas, a do escrivão Pêro Vaz de Caminha, e a do cirurgião e astrólogo mestre João, chegaram a salvo).

A estas juntavam-se ainda duas embarcações armadas por mercadores particulares, a caravela Anunciada, de D. Álvaro de Bragança (associado aos banqueiros florentinos Bartolomeu Marchioni e Girolamo Sernige e o genovês Antonio Salvago), capitaneada por Nuno Leitão da Cunha, e uma pequena nau mercante, de D. Diogo da Silva e Meneses (também em parceria com mercadores italianos), comandada por Luís Pires.

Bibliografia consultada

– “A Viagem do Descobrimento – A Expedição de Cabral e o Achamento do Brasil”, de Eduardo Bueno, Editora Pergaminho, 2000
– “Os Descobrimentos Portugueses”, de Luís de Albuquerque, edição das Selecções do Reader’s Digest, 1985
– “O Achamento da Terra de Vera Cruz”, de Jorge Couto, Camões – Revista de Letras e Culturas Lusófonas, número 8, Janeiro-Março de 2000

Anúncios