Na manhã de sábado, 25 de Abril, as naus entraram então na baía, tendo Pedro Álvares Cabral ordenado a Nicolau Coelho e a Bartolomeu Dias que «baixassem à terra e levassem aqueles dois homens».

Depararam-se com cerca de 200 homens, armados com arcos e flechas, que depuseram a sinal dos portugueses, iniciando-se então os primeiros contactos, com trocas de objectos, com os exploradores a oferecerem aos nativos guizos e missangas, assim como toucas vermelhas, recebendo papagaios e araras.

No domingo (de Pascoela, o primeiro após a Páscoa), para além de o comandante, reunido com os capitães da esquadra, ter decidido enviar ao rei a notícia do achamento, foi celebrada por Frei Henrique de Coimbra a primeira missa cristã em terras sul-americanas, no ilhéu da Coroa Vermelha, participada pela tripulação, a que entretanto acorreram cerca de duzentos índios tupiniquins.

Bibliografia consultada

– “A Viagem do Descobrimento – A Expedição de Cabral e o Achamento do Brasil”, de Eduardo Bueno, Editora Pergaminho, 2000
– “Os Descobrimentos Portugueses”, de Luís de Albuquerque, edição das Selecções do Reader’s Digest, 1985
– “O Achamento da Terra de Vera Cruz”, de Jorge Couto, Camões – Revista de Letras e Culturas Lusófonas, número 8, Janeiro-Março de 2000